Aviso às crianças (um poema de Robert Graves)

image

Robert Graves (1895-1985), o grande ensaista e classicista inglês, autor do incontornável Os Mitos Gregos, também escrevia versos. A seguir apresento-vos a minha tradução do seu poema Warning to Children. Soa melhor se o lerdes em voz alta.

Como sempre, desfrutai.

 

AVISO ÀS CRIANÇAS
Por Robert Graves

Crianças, se tiverdes a coragem de
Pensar na íntima grandeza, ou na rareza,
Ou na estranheza deste precioso
Único e infinito mundo em que dizeis
Viver, pensai em coisas como estas:
Ladrilhos de ardósia que rodeiam
Manchas de cor verde e encarnada,
E redes de um castanho amarelado,
E um campo de dominós
Em preto e branco alternado,
E no meio deste campo
Um embrulho em papel pardo
Que convida a puxar pelo baraço.
E no embrulho uma ilhota,
E na ilhota uma árvore grande,
E na árvore um fruto de casca resistente.
Parti a casca e abri o fruto:
No seu miolo vereis ladrilhos
De ardósia que rodeiam
Manchas de cor verde e encarnada,
E redes de um castanho amarelado,
E um campo de dominós
Em preto e branco alternado,
Onde o mesmo embrulho em papel pardo –
Crianças, não toqueis no baraço por favor!
Pois quem ousar o embrulho abrir
Ficará retido dentro dele,
Dentro da ilhota, na árvore, com
Ladrilhos de ardósia em volta da cabeça,
Rodeado por manchas de cor
Verde e encarnada, à volta de
Redes de um castanho amarelado,
Que envolvem um campo de dominós
Em preto e branco alternado,
Com o mesmo embrulho em papel pardo
Ainda por abrir sobre os joelhos.
E se então tiver coragem de
Pensar na estranheza, ou na rareza,
Ou na íntima grandeza deste infinito
Precioso e único mundo em que diz
Viver – então, puxará pelo baraço.

 

 

Advertisement