A execução da Marquesa de Távora

Na sua obra Perfil do Marquês de Pombal, publicada em 1882, Camilo Castelo Branco descreve a execução pública de Dona Leonor Tomásia de Lorena, a terceira marquesa de Távora. Camilo simpatiza com Leonor, de quem diz que era “gentilíssima, d’um talento extraordinário, muito lida, uma verdadeira distinção na corte de D. João V”. Leonor é a primeira vítima do tenebroso processo dos Távora, uma família nobre que, por despeito do Marquês de Pombal e conveniência do rei Dom José, é executada em público com requintes de uma malvadez que Pombal desejaria exemplar. Camilo não perdoa a Pombal os crimes que comete e os vícios que o apoucam. A descrição que vão ler a seguir é uma peça que, embora breve, é extraordinária.

D._Leonor_Tomásia_de_Lorena_e_Távora_(c._1770)_-_J.B._Gérard

____________________________________________________

A aurora do dia 13 de janeiro de 1759 alvorejava uma luz azulada do eclipse daquele dia, por entre castelos pardacentos de nuvens esfumaradas que, a espaços, saraivavam bátegas de aguaceiros glaciais. O cadafalso, construído durante a noite, estava húmido. Continuar a ler